história
Grandes jogos

M'Gladbach x Dortmund: humilhação em Düsseldorf

2013/04/17 14:47
Texto por João Pedro Silveira
l0
E2
O dia era o 29 de abril de 1978, o jogo estava marcado para as 15h30, horas locais, no Rheinstadion em Düsseldorf, porque o Bökelbergstadion estava em obras. Jogava-se a 34ª e última jornada da Bundesliga, o Borussia Mönchengladbach lutava com o 1. FC Köln [em português mais conhecido por Colónia] pela conquista do título de campeão.

Vizinhos e rivais, entravam com expectativas para a última jornada, empatados no número de pontos, mas com a vantagem a sorrir aos de Colónia, que visitavam St. Pauli, com uma diferença de golos com saldo positivo de 40 golos, enquanto os de Mönchengladbach recebiam o Borussia Dortmund, com trinta golos à maior. 

Os dez golos de vantagem prometiam fazer a balança pender para o Colónia, mas os «verdes» ainda tinham uma réstia de esperança...

Começo demolidor

O jogo começou à hora marcada. Os 38 mil lugares do Estádio estavam «pintados» de verde e branco, com a invasão dos adeptos da vizinha Gladbach, que tinham enchido o Rheinstadion. Em Düsseldorf vivia-se uma bela tarde de Primavera, com o sol a brilhar e o calor a convidar a banhos, na piscina vizinha ao estádio.

Otto Rehhagel, então com 39 anos, era o treinador do Dortmund, nessa tarde de triste memória para os «amarelos».
Os adeptos mal tiveram tempo de se sentar, pois logo no primeiro ataque, os verdes chegaram à frente, quando Jupp Heynckes, com uma bela cabeçada, deu o melhor seguimento a um cruzamento da esquerda. Melhor começo, os Die Fohlen não podiam desejar, mas estariam longe de imaginar o que ainda viria...

Aos 12 minutos, Heynckes entrou na área pela direita, com uma finta de corpo sentou Endrulat e fez o 2x0. O público aplaudia efusivamente, incentivando a equipa a mais. O Dortmund abana e os seus jogadores começam a acusar os golpes sofridos. Um minuto passado, Kalle Del´Haye centra da direita e o dinamarquês Carsten Nielsen cabeceia para o 3x0. A goleada adivinha-se.

O Dortmund não consegue reagir. Todas as ténue tentativas de ataque esbarram no muro verde. Os de Mönchengladbach estão seguros. Lá atrás, o trio WittKamp, Vogts e Hannes, não deixa avançar os de Dortmund. Com o jogo controlado, o adversário manietado, o Gladbach lança-se sobre a sua vítima, enquanto na bancada se pedem mais golos.

Dortmund encostado às cordas

22 minutos, após um canto a favor do Dortmund, os verdes lançam um rápido contra-ataque, finalizado com um remate certeiro da direita por Del´Haye. 4x0! Um golaço! O público delira e o Dortmund cada vez mais perto do knock out... 

Jupp Heynckes e Berti Vogts, duas referências do fantástico Gladbach dos anos setenta.
32 minutos, outro dinamarquês, desta feita Simonsen, o pequeno génio, senhor de uma técnica exuberante, avança pela direita, antes de tirar o defesa da frente e fazer um cruzamento remate que Heynckes confirma sobre a linha de golo. 5x0! Hattrick de Heynckes. No banco, Otto Rehhagel - então um jovem de 39 anos - nem quer acreditar, ainda há 13 minutos para jogar no primeiro tempo...

Meia dúzia de minutos volvidos, Wimmer aparece isolado pela esquerda e já na pequena área, pica a bola sob Endrulat, para fazer o sexto e deixar os adeptos a sonhar... Alguns minutos depois, Ferdinand Biwersi apita para o intervalo no Rheinstadion, de St. Pauli chegam notícias que o Colónia vence só por 0x1. Os adeptos do Gladbach sonham que a recuperação é possível e que o troféu de campeão da Bundesliga pode ir para Mönchengladbach.

 
Ferdinand Biwersi Ferdinand Biwersi apita para o intervalo no Rheinstadion, em St. Pauli o Colónia vence só por 0x1, os verdes acreditam, só são precisos mais cinco golos!
A palestra: motivação impossível
 
Durante o intervalo, Otto Rehhagel tentou o impossível: galvanizar os jogadores para o segundo tempo, apelando à sua honra. Contudo a situação era dramática, nenhum jogador parecia ouvir a palestra e nenhum dos suplentes queria jogar na segunda parte.
 
Os «verdes» marcam mais um golo a Endrulat.
Tenta ainda convencer Endrulat a ser substituido, mas o guarda-redes recusa-se a sair, argumentando que não teria problemas em jogar a segunda parte, estando longe de imaginar o que ainda iria acontecer... Com as mãos atadas, Rehhagel resolve não proceder a nenhuma alteração, lançando o mesmo «onze» para os segundos 45 minutos.
 
Na outra cabine, Udo Lattek pedia concentração aos seus jogadores. Só tinham de continuar a fazer o que tinham feito no primeiro tempo e acreditar que era possível.
 
14 minutos de resistência
 
O segundo tempo começou com os visitantes mais coesos, conseguindo durante alguns minutos transmitir a ilusão de uma segurança, que estivera ausente durante toda a primeira parte. 
 
Mas aos 59 minutos, Heynckes ganha uma bola nas alturas, que envia para o fundo das redes de Endrulat. O Dortmund volta a tremer e a equipa entra em descalabro. O 7x0 deixa os «amarelos» de tal forma abalados, que se percebe imediatamente que o descalabro se adivinha. A partir do sétimo golo, a única dúvida que restava, era saber quantos golos os da «casa» conseguiriam marcar até ao apito final.
 


 
Dois minutos depois Nielsen faz o oitavo e passada outra mão cheia de minutos, Del´Haye faz o 9x0. O Gladbach está imparável e os golos continuam... 10x0 por Heynckes aos 77 minutos, 11x0 por Lienen aos 87 minutos e finalmente Kulik a fechar a contagem aos 90.
 
O Dortmund está de rastos, mas o Gladbach não pode festejar o título, porque em Saint Pauli, o Colónia encontrara o caminho para o golo e vencera por um claro 0x5, o que garantia aos Geißböcke [em português: bodes], a sua terceira, e até hoje última, conquista da Bundesliga.
 
Rehhagel é despedido no dia seguinte, substituído por Held, um dos que se recusara a entrar durante a partida, enquanto o pobre guarda-redes é dispensado e acaba por assinar pelo humilde Tennis Berlin da segunda divisão...
 
Otto Rehhagel gave a brief talk to his players during at half-time, calling upon the team to play on for their honour.[9] No substitutes were made since no player from the bench wanted to come onto the pitch. Rehhagel asked Endrulat if he would like to be substituted, but the Dortmund goalkeeper said he had no problem with playing on.[9] He later concluded however that this had been the wrong decision:
Otto Rehhagel gave a brief talk to his players during at half-time, calling upon the team to play on for their honour.[9] No substitutes were made since no player from the bench wanted to come onto the pitch. Rehhagel asked Endrulat if he would like to be substituted, but the Dortmund goalkeeper said he had no problem with playing on.[9] He later concluded however that this had been the wrong decision:
Otto Rehhagel gave a brief talk to his players during at half-time, calling upon the team to play on for their honour.[9] No substitutes were made since no player from the bench wanted to come onto the pitch. Rehhagel asked Endrulat if he would like to be substituted, but the Dortmund goalkeeper said he had no problem with playing on.[9] He later concluded however that this had been the wrong decision:
Capítulos
Comentários (3)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
El
Gladbach x Dortmund
2015-05-09 13h47m por El_Nino_Torres
Posso estar a dizer algo polémico e até posso estar errado, mas dadas as condicionantes para este jogo (ter que ganhar por um número impensável de golos para poder ser campeão) e acabar por dar 12-0. . . cá para mim tem "pinta" de "acordo de cavalheiros". . . Mesmo assim de nada serviu. . .
Ma
Borussia Monchengladbach
2015-04-30 18h20m por Macho_CelticFC
Grande Clube Alemao Este Borussia Monchengladbach
vi
Lembranças
2013-04-29 23h23m por vidigueirasempre
Lembro-me perfeitamente, vive os anos 70 na Alemanha, Gladbach e Colónia eram os mais fortes, o Bayern estava em renovação após o tri, 74, 75, 76 se não me engano. Lembro que o Benfica defrontou o Gladbach daquele tempo, após dois empates a zero, em casa e fora, o Gladbach foi mais forte no pronlongamento 0-2 infelizmente. Já agora parabéns ao meu Clube na Alemanha o Eintracht Braunschweig que subiu de novo à 1ª Divisao.
jogos históricos
U Sábado, 29 Abril 1978 - 00:00
Rheinstadion
Ferdinand Biwersi
12-0
Jupp Heynckes 1' 12' 32' 59' 77'
Carsten Nielsen 13' 61'
Karl Del´Haye 22' 66'
Herbert Wimmer 38'
Ewald Lienen 87'
Christian Kulik 90'
Estádio
Rheinstadion
Rheinstadion
Alemanha
Düsseldorf
Lotação55800
Medidas-
Inauguração1925
Estádio
Bökelberg Stadion
Bökelberg Stadion
Alemanha
Mönchengladbach
Lotação54019
Medidas-
Inauguração1919