história
Grandes jogos

Liverpool x Arsenal: Como calar Anfield?

2015/11/02 10:36
Texto por Jorge Silva
l0
E0
A decisão nas margens do Mersey

Maio de 1989: A cidade de Liverpool dominava o futebol inglês. Na cidade dos Beatles moravam os dois clubes com mais campeonatos conquistados à altura. O Liverpool FC, dezassete vezes campeão, dez delas nos últimos 16 anos colocavam o Liverpool FC no topo da hierarquia. O Everton, com 9 campeonatos conquistados encontrava-se em 2.º lugar. (1)

A época de 1988/89 parecia destinada a coroar Liverpool e os seus reds com o 18º título. O campeonato foi disputado até ao fim. À entrada para a última jornada o Liverpool FC detinha uma vantagem de três pontos e quatro golos e recebia em Anfield Road o rival direto Arsenal
 
Apenas uma derrota por dois golos de diferença desviaria o título de Anfield para Londres, o que face ao poderio dos comandados pela antiga glória do clube e da seleção escocesa Kenny Dalglish não era de todo expectável. Uma geração memorável de jogadores como Bruce Grobblar, Steve Nicol, John Barnes ou os goleadores John Aldridge e Ian Rush davam garantias mais que suficientes aos adeptos do Liverpool e à imprensa em geral.

Do outro lado da barricada outro escocês, George Graham comandava uma equipa com onde Tony Adams, Paul Merson, David Rocastle e o goleador Alan Smith eram figuras de destaque. Também as estatísticas davam vantagem aos da casa. Nos 13 anos antecedentes, Anfield havia assistido a dez vitórias do Liverpool e três empates com um saldo de 26 golos para os Reds contra apenas sete para os Gunners. Durante a semana, a euforia vermelha que tomou conta de adeptos, jogadores e imprensa foi aproveitada pelo treinador do Arsenal para retirar pressão sobre a sua equipa.

Graham insistiu na tese de jogar o jogo pelo jogo, desfrutar do momento sem nunca descurar a possibilidade de vitória. Graham achava que se o Arsenal conseguisse manter a sua baliza inviolada terias boas possibilidades de chegar aos dois golos que lhe dariam a glória. Muitos não acreditavam que fosse realmente a sua crença, mas a inclusão de Steve Bould, como 3.º defesa central no onze inicial mostrou ao que o Arsenal ia. 
 
O jogo foi bem disputado com muitas cautelas na 1.ª parte mas curiosamente as melhores oportunidades pertenceram ao Arsenal. Com 0x0 ao intervalo o título parecia cada vez mais entregue ao Liverpool.

E tudo o intervalo mudou...

Todavia, a meio da 2.ª parte e na sequencia de um lance de bola parada, Alan Smith marcou, e apesar dos muitos protestos dos jogadores da casa que reclamavam mão na bola, o golo foi mesmo validado e o Arsenal ficava a apenas um golo de distancia do título.

Os nervos instalaram-se na equipa da casa e o Arsenal esteve mesmo muito perto do 2.º golo por duas ocasiões. No entanto aos 90 minutos persistia o 0x1 que ainda bastava aos reds.

Foi já em período de descontos que surgiu a célebre jogada de John Barnes que mudou a história do jogo e do campeonato. 

O internacional inglês de origem Jamaicana, empolgado pelo momento e já perto da grande-área do Arsenal corre com a bola em direção à bandeirola de canto no que parecia uma jogada clássica para queimar mais uns segundos e esperar pelo fim do jogo, mas sem que nada o fizesse prever, volta-se para a baliza adversária, dribla um adversário mas a bola acaba nas mãos do guarda-redes adversário que lança o contra-ataque.

Em apenas cinco segundos, num contragolpe mortal, o centro-campista dos gunners Michael Thomas, esse mesmo que teve uma passagem mal sucedida pelo Benfica na era Vale e Azevedo, está na cara de Bruce Grobllar e não perdoa. Era o 0x2 e o título a mudar de mãos um minuto e meio para lá dos 90 regulamentares. 
 
Visto à distância podemos dizer tratar-se de um jogo dramático, com um desfecho de todo inesperado que marcou de forma decisiva não só uma temporada como, acreditam vários analistas de futebol na Grã-Bretanha, uma era de viragem. Na época seguinte o Liverpool voltou a reconquistar o título mas fá-lo-ia pela última vez até aos dias de hoje. (2) (3)

Dois anos depois, e liderado por um jovem francês de seu nome Eric Cantona o Leeds United sagrou-se campeão, imediatamente antes de surgir pela mão de outro escocês, uma renovada potencia futebolística que dominaria o futebol britânico por mais de duas décadas: O Manchester United de Fergusson. 

------------------------------
(1) Como termo de comparação à época o Manchester United só tinha ganho sete ligas.
(2) Texto publicado em Novembro de 2015. 
(3) Desde que a Premier League nasceu e até à publicação deste texto o Liverpool nunca conseguiu vencer a competição. 
Capítulos
Comentários (0)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
jogos históricos
U Sexta, 26 Maio 1989 - 00:00
Anfield
0-2
Alan Smith 52'
Michael Thomas 90'
Estádio
Anfield
Anfield
Inglaterra
Liverpool
Lotação54800
Medidas101x68
Inauguração1884