história
Grandes jogos

Inglaterra x RFA: a coroa mundial

2013/07/30 17:36
Texto por João Pedro Silveira
l0
E2
Cada adepto de futebol tem uma opinião sobre o 98º minuto da final de 1966. Terá o remate de Geoff Hurst transposto a linha da baliza de Hans Tilkowski. O fiscal-de-linha soviético Tofik Bakhramov, validou o golo e o árbitro suíço Gottfried Dienst correu para o meio campo perante a descrença dos jogadores alemães ocidentais que protestavam ruidosamente. Geoff Hurst ainda faria mais um golo, fechando um hattrick que valeu à Inglaterra o título mundial. O único do seu historial! 
 
Uma tarde para a história
 
Londres acordou luminosa, com um sol de verão que parecia estar feliz por ver a seleção dos «três leões» finalmente a jogar uma final de um mundial. Wembley estava cheio com 98 mil almas ansiosas para vitoriar o novo campeão do Mundo. De um lado estava a Alemanha Federal, com uma pequena falange de apoio, tentando conquistar o seu segundo troféu. Na tribuna, a Rainha Isabel II presenciava ao vivo ao grande encontro que podia consagrar uma geração impar de jogadores ingleses e coroar finalmente os inventores do futebol como os reis do jogo. A Jules Rimet tinha de ficar em casa! Fora esse o mote da imprensa inglesa durante a competição.
 
A equipa inglesa fizera um caminho sem grandes percalços, mas sem brilhantismo até à final. Apenas concedera um golo, na meia-final com Portugal, autoria do inevitável Eusébio e empatara com o Uruguai na estreia. Por sua vez, a Mannschaft vencera o grupo sem dificuldades - cedendo um empate com a Argentina - antes de esmagar o Uruguai nos quartos de final (4x0) e a URSS nas meias (2x1).
 
Quase que estavam jogados 13 minutos, quando Helmut Haller colocou a Alemanha Federal na frente. Mas somente passados quatro minutos, Geoff Hurst empatava o jogo. Este seria o primeiro, dos três golos que o avançado do West Ham United apontou nessa tarde. O jogo permaneceu equilibrado até ao intervalo, com os ingleses a não conseguirem colocar em campo, a superioridade que muitos lhe apontavam.
 
Segundo tempo
 
Ao intervalo, bandas militares entretinham os adeptos das duas equipas, que descansavam das emoções do mesmo tempo, confraternizando nas bancadas. O jogo recomeça, com a posse de bola para os da casa. Nas bancadas o ambiente era eletrizante. Sentia-se o apoio do público e a vontade imperiosa destes verem a sua Inglaterra adiantar-se no marcador. A defesa alemã parecia inabalável, segura como uma muralha, aguentando todas as investidas inglesas, que por norma se iniciavam nos pés de Bobby Charlton
 
Sempre que a pressão inglesa aliviava um pouco, os alemães tentavam a sua sorte, mas Gordon Banks não dava hipóteses aos avançados teutónicos. Bola cá, bola lá, o jogo ganhava uma velocidade frenética, até que outro avançado do West Ham, Martin Peters, colocou o «home side» na frente. A Inglaterra estava a doze minutos de conquistar o mundo...
 
Confiantes, os anfitriões tentam chegar ao terceiro golo que decidia a final, mas a Alemanha Federal não cedia e ainda tinha uma carta na manga... A conquista da Taça estava apenas a alguns poucos minuto de distância, e requeria consistência e nervos de aço, para aguentar a última ofensiva alemã, que não queria dar o jogo por perdido. 
 
Na que se pensava poder ser a última jogada do encontro, Wolfgang Weber recebe uma bola na ponta direita da área e chuta para a baliza de Banks. 2x2! A final do mundial ia pela primeira vez na história para prolongamento! 
 
Um fiscal-de-linha com direito a estátua
 
Seria aos 98 minutos que acontecria o célebre golo de Hurst, validado por Bakhramov, apesar dos enormes protestos alemães. O golo é ainda tão controverso, que graças à sua validação, o árbitro soviético, azeri desda da independência do seu país em 1991, tornou-se no primeiro árbitro no Mundo a ter direito a uma estátua. Estátua essa erigida em Baku, capital do Azerbaijão, e mais recentemente, viu o seu nome ser escolhido para o Estádio Nacional da pequena república do Cáucaso, um estádio que em tempos já fora conhecido como Estaline e Lenine...
 
Os alemães perderam a concentração e não conseguiram voltar a «encontrar-se». O avançado hammer completaria o seu histórico hattrick mesmo em cima dos 120 minutos, tornando-se o único jogador a marcar três golos numa final de um mundial. No momento em que a bola entrou, havia já uma pequena invasão de campo, de adeptos preparados para vitoriar os campeões.

No meio da confusão, e com adeptos no meio do relvado, o árbitro suíço Gottfried Dienst olhou para o relógio e apitou para o final. Kenneth Wolstenholme, o comentador da BBC que narrava o relato do jogo, proferiu então o seu famoso comentário: «Há algumas pessoa no meio do relvado. Elas pensam que o jogo já acabou... [golo de Hurst] E agora acabou mesmo!»
 
O capitão Bobby More receberia a Jules Rimet das mãos da Rainha, numa imagem que ainda perdura no imaginário de todos os ingleses apaixonados pelo beautiful game. O dia em que a Inglaterra foi Campeã do Mundo! 
 


Capítulos
Comentários (3)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
Le
Portugal
2013-08-01 10h56m por Leiria
De pouco foi Portugal. . . Eusébio merece e o nosso povo também. .

Saudaçoes desportivas.
Ba
ganharam, mas. . . . .
2013-07-31 13h19m por Baz15
todos sabemos que foi um bocado aldrabado. Aquilo sim foram campos inclinados. . .
FC
.
2013-07-31 01h08m por FCP_
High-five virtual a quem tiver lido isto tudo
jogos históricos
U Sábado, 30 Julho 1966 - 15:00
Wembley Stadium
Gottfried Dienst
4-2
Geoff Hurst 18' 101' 120'
Martin Peters 78'
Helmut Haller 12'
Wolfgang Weber 89'
Estádio
Wembley Stadium
Wembley Stadium
Inglaterra
Wembley, London
Lotação127000
Medidas-
Inauguração1923