história
Grandes jogos

Hungria x RFA: o Milagre de Berna

2012/11/07 17:57
Texto por João Pedro Silveira
l0
E2
A Hungria chegara ao mundial como a grande favorita, alcunhada de «Equipa D'Ouro», rotulada de imbatível, sem conhecer o sabor da derrota desde 14 de maio de 1950. A primeira fase foi um passeio, com um 9x0 à Coreia e um 8x3 à Alemanha Federal. Seguiu-se uma vitória sobre o Brasil nos quartos por 4x2, e uma vitória sobre o Uruguai, campeão mundial em título. Sem problemas, com um futebol demolidor, a Hungria chegava ao grande jogo, só com vitórias e um impressionate score de 25x7!

A tão esperada final

Chegou finalmente o aguardado dia 4 de julho, o Estádio Wankdorf em Berna, era o local onde os olhos do mundo se centravam: de um lado a Hungria, campeã olímpica em título, imbatível desde 1950, a única que podia gabar-se de ter vencido os ingleses em sua casa e que acabara de bater os campeões do Mundo. Se tal não bastasse, 14 dias antes tinha humilhado esta mesma seleção alemã com uma goleada histórica por 8x3. 

Do outro lado da barricada, estava uma equipa humilde, capitaneada por Fritz Walter, e que desde a humilhação sofrida contra os magiares, tinha levantado a cabeça e vencido todos os adversários que lhe tinham aparecido pela frente, chegando à primeira final do seu historial.
 
A expectativa era grande, não relativamente ao vencedor, mas para se saber por quantos golos venceria a Hungria. Se havia crentes na vitória alemã federal, aos oito minutos de jogo já ninguém tinha dúvidas, graças aos golos de Puskas (6´) e Czibor (8´), a Hungria caminhava para o seu primeiro título mundial. A Alemanha Federal ia ser goleada pela segunda vez num espaço de duas semanas...
 
Mas dois minutos depois, numa jogada de ressalto, Morlock reduziu e trouxe alguma esperança às cores teutónicas. Estranhamente, os húngaros acusaram o toque e durante alguns minutos pareciam incapazes de construir uma jogada com «pés e cabeça».
 
Após passarem as ondas e de choque, e quando já começavam a dar sinal de voltarem a pegar no jogo, os alemães apontaram o surpreendente golo do empate (18´). Em menos de dez minutos a Alemanha empatara o jogo, e nem sequer vinte minutos da partida se haviam jogado... Até ao intervalo a Hungria dominou, mas de forma nervosa e insegura, e o apito para o intervalo do inglês William Ling, foi bem recebido por Sebes e os seus jogadores.
 
Segunda parte
 
O intervalo trouxe nova vida aos húngaros. Com um 2-3-3-2 bem estruturado no relvado que se desdobrava num ofensivo 4-2-4, onde quatro setas apontavam diretamente a baliza do guardião Turek. Os ataques magiares fizeram o barco alemão tremer, mas não afundar.
 
«Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse», como eram conhecidos Puskas, Czibor, Kocsis e Hidegkuti, foram incapazes de furar a “muralha” germânica, e os húngaros acabaram por ser derrotados, obra de Rahn, autor do terceiro golo alemão, apontado a seis minutos do fim.
 
Quando o inglês Ling apitou para o final, os alemães envolveram-se em festejos no meio do relvado, enquanto os húngaros não acreditavam no que lhes tinha acontecido. A Hungria perdia o seu primeiro jogo em mais de quatro anos, precisamente na final do Campeonato do Mundo... 
 
No centro do relvado e nas bancadas os alemães festejavam, e a notícia da vitória espalhava-se por uma Alemanha incrédula que não queria acreditar no «Milagre de Berna». Em Budapeste, e por toda a Hungria, o silêncio imperava, culpa do soturno regime comunista que tinha imensa dificuldade em lidar com a derrota, depois de tanto utilizar a «Equipa D´Ouro» como símbolo do regime.
Capítulos
Comentários (3)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
ra
Milagre
2015-07-04 18h08m por rafapaz70
Foi o roubo de Berna. Como na politica ou na guerra a historia que fica é aquele que foi escrita pelos vencedores, quando o proprio arbitro disse a 1 amigo que 1 pais comunista não podia ser campeão de Mundo. Este jogo estava decidido antes de começar.
va
magiares do futebol
2014-07-04 12h23m por vascobaptista
creio que dificilmente, a Hungria repetirá tamanho feito de reunir grandes atletas que jogavam sim, um belo futebol, mas algum dia, os "magiares" merecerão um título mundial pela história que compuseram na década de 50!
Bo
Dopping?
2014-05-16 01h30m por Bok
Há quem aponte duas razões para o tal "Milagre":

-As botas Adidas, utilizadas pelos germânicos e que os fez adaptarem-se melhor ao péssimo estado do terreno;
-As seringas que foram encontradas dias mais tarde nas canalizações dos balneários.
jogos históricos
U Domingo, 04 Julho 1954 - 17:00
Wankdorfstadion
William Ling
3-2
Max Morlock 10'
Helmut Rahn 18' 84'
Ferenc Puskás 6'
Zoltán Czibor 8'
Estádio
Wankdorfstadion
Lotação31784
Medidas-
Inauguração1925