história
Grandes jogos

Dinamarca x Suécia: Os estereótipos e o «biscoito»

2015/12/21 16:45
Texto por Giuseppe Napoli com Pedro Silveira
l0
E0
O que são estereótipos? Olhando o dicionário, os estereótipos são uma imagem preconcebida de determinada pessoa, coisa ou situação. São usados principalmente para definir e catalogar pessoas ou grupo de pessoas. O conceito dá origem aos mais diversos tipos de preconceito, tanto positiva como negativamente, com impacto na sociedade.

A Itália é um dos países mais estereotipados do mundo, na maioria dos casos é alvo de estereótipos negativos, formalizados tanto por estrangeiros como pelos próprios naturais de Itália. A ideia de corrupção, laxismo, preguiça, máfia, todas elas estão associadas ao Bel Paese. Dentro das quatro linhas, e tal como os outros povos latinos, a Itália é facilmente esterótipada como uma nação de fiteiros, que usa e abusa de simulações no campo, pondo em causa com regularidade a verdade desportiva no jogo. Mas em 2004, dentro do campo de futebol foi a vítima da quebra de um dos maiores estereótipos do deporto europeu, o suposto desportivismo e integridade ética dos povos do Norte.
 
A câmara indiscreta atrás de Totti
 
Em Portugal, as «tropas italianas», apesar de serem uma equipa recheada de grandes jogadores, nunca parecera, estar muito concentradas nos jogos, efetuando exibições descoloridas que aborreciam até ao absoluto tédio até os próprios italianos. 
 
Na estreia, em Guimarães, contra a Dinamarca resultou num 0 a 0, resultado de um jogo entediante e sem «chances» de golo, que trouxe à luz uma ineficaz Itália, tecnicamente dotada, mas ofensivamente nula, ao mesmo tempo que mostrava também uma certa sobranceria pelos adversários nórdicos.
 
Uma câmera de um canal de televisão dinamarquês, seguiu Totti durante todo o jogo. As imagens captaram o capitão da Roma a reagir a alguma troca de palavras com Poulsen, num caso que passou ao lado do juíz da partida. Denunciado o caso pelos dinamarqueses, a UEFA não hesitou em castigar o craque dos giallorossi por três jogos. 
 
A Itália seguiu para o segundo jogo sem a sua estrela romana, e apesar das dificuldades que se anteviam com os suecos, a Itália entrou bem no campo, pautando o seu ritmo de jogo, chegando à vantagem por Antonio Cassano. A Squadra Azzurra não conseguiu segurar a reacção, acabando por ceder um empate, após um golo de Zlatan Ibrahimovic, a cinco minutos do fim.
 
Feitas as contas às duas jornadas já jogadas, a Itália estaria qualificada para os quartos-de-final se vencesse o último jogo contra a Bulgária, a não ser que...
 
Um «Biscoito» (1) Nórdico
 
Chegou então o grande dia. À mesma hora, que a Itália defrontava a Bulgária em Guimarães, no Bessa, os vizinhos Dinamarca e Suécia enfrentavam-se.
 
A Itália estaria apurada, desde que vencesse o seu jogo e na partida do Bessa não houvesse um empate a dois ou mais golos...
 
Ninguém na Itália, e pela Europa fora, desconfiava da boa-fé do integríssimos nórdicos, incapazes de fabricar resultados favoráveis, quebrando todas as regras de fair play e da ética desportiva. Ainda para mais, o 2x2 não seria um resultado tão comum assim...
 
Com os ouvidos no Porto, a Itália parecia estar ausente do Afonso Henriques, e nem o golo de Tomasson, que colocava os dinamarqueses na frente, parecia desperta-la da letargia em que se encontrava. 
 
Aos 45 minutos tudo corria bem na «Invicta», mas em Guimarães a Itália perdia por 0x1 com a Bulgária. Animada pelas notícias que chegavam do Bessa, a Squadra Azzurra entrou no segundo tempo disposta a dar a volta ao texto e chegou ao empate, aproximadamente na mesma altura que os suecos empatavam o jogo. 
 
As lágrimas de Cassano
 
Aos 66 Tomasson bisou e a Itália passou a jogar sobre brasas, temendo o golo sueco no Bessa. Os jogos seguem com o drama a adensar-se a cada nova volta que o ponteiro dos minutos dava ao relógio.
 
Já nos descontos, Perrota marca e festeja como um louco o golo da qualificação da Itália... 2x1! Corre para o banco, onde os colegas, gelados, o esperam com a má notícia, Jonson tinha batido Sorensen, a Suécia empatara no último minuto, o golo que acabara de marcar fora em vão...
 
Cassano vai do céu ao inferno numa questão de segundos, as suas lágrimas correm os ecrãs do mundo, e a imagem da desilusão de Cassano torna-se numa das imagens de marca do europeu.
 
Sorensen, veterano guarda-redes dinamarquês, dava o que se convencionou chamar de «frango» e as duas seleções estavam apuradas. Para tornar as coisas ainda mais polémicas, um canal sueco captava os diversos cumprimentos entre os adversários, enquanto Sorensen saudava alegremente o sueco Allbäck, seu companheiro no Aston Villa com um sonoro «vamos em frente!». Outras imagens, por sua vez, mostravam o evidente desinteresse pelo jogo do sueco Edman e do dinamarquês Jensen, momentos antes de começar a jogada que resultaria no 2x2 final.
 
Os nórdicos negaram qualquer arranjo, em Itália, os biscoitos nórdicos deixaram de ser sinónimo de fair play... E um jornal de referência italiano recordava as imortais palavras de William Shakespeare:
 
«Há algo de podre no Reino da Dinamarca.» (2)
 
----------------------------------------------------
(1) - «Il Biscotto», em português «o Biscoito» é um termo utilizado em Itália para definir um resultado combinado de forma não lícita, que em Portugal é conhecido por «um arranjinho».
(2) - «Hamlet», Ato I, Cena IV
Capítulos
Comentários (0)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
Tópicos Relacionados
Estádio
Estádio do Bessa Séc. XXI
Lotação30000
Medidas105x68
Inauguração1910