história
Grandes jogos

Dinamarca x Portugal: Milagre de São Silvestre de Lviv

2015/10/12 11:46
Texto por Duarte Monteiro
l0
E0
Portugal corria contra o tempo, depois de o ter tido na mão; os ponteiros cavalgavam mais do que as pernas. A presença no Campeonato da Europa de 2012 ameaçava terminar de forma precoce, logo na fase de grupos.

Depois de ter perdido pela margem mínima na 1ª jornada frente à Alemanha, Portugal ia empatando a dois com a Dinamarca, em Lviv.

Um empate com sabor a derrota; a goleada até, depois de um início de sonho. Pepe e Postiga, em pouco mais de meia hora, tinham deixado a seleção de Paulo Bento confortável; demasiado.

O primeiro sinal de castigo apareceu até bem cedo, aos 41 minutos, quando Nicklas Bendtner reduziu para 1x2. Um aviso que ninguém levou a sério. E Bendtner duplicou o castigo, aos 80 minutos.

Por vezes, o comboio passa duas vezes... De repente, tudo mudou. As esperanças de levar a decisão para o encontro final frente à Holanda ficavam reduzidas a nada perante aquele resultado. Paulo Bento olhou para as soluções possíveis e arriscou um nome; um santo.

Silvestre Varela. O extremo entrou na Arena de Lviv aos 84 minutos e, 180 segundos depois, corrigia o curso da história.

Um cruzamento de Fábio Coentrão voa pela área dinamarquesa e faz a bola chegar a Varela; este tenta o remate de primeira, mas falha; a bola enrola-se mas sussurra-lhe que ainda está ali, que o comboio ainda não tinha passado; e Varela voltou a tentar a sorte, e foi feliz.

Um “tiraço” em cheio nos corações dinamarqueses, catapultando Portugal para os três pontos e, confirmado mais tarde em nova noite histórica em Kharkiv, para os quartos de final.



Capítulos
Comentários (0)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
jogos históricos
U Quarta, 13 Junho 2012 - 17:00
Arena Lviv
Craig Thomson
2-3
Nicklas Bendtner 41' 80'
Pepe 24'
Hélder Postiga 36'
Silvestre Varela 87'
Estádio
Arena Lviv
Lotação34915
Medidas105m x 68m
Inauguração2011