história
Grandes jogos

Benfica x Académica: a lição bem estudada

2015/12/04 19:08
Texto por João Pedro Silveira
l0
E0
A goleada dos rapazes de Coimbra, a maior de sempre em casa do Benfica, encheu de alegria os adeptos da Briosa e deixou os benfiquistas muito perto de um ataque de nervos. Domingos Paciência deu uma lição a Fernando Chalana e a velha glória encarnada acabou o jogo com o olhar perdido no "terceiro anel".
 
O Benfica seguia em segundo lugar, 18 pontos atrás do FC Porto, mudara recentemente de treinador trocando José António Camacho por Fernando Chalana, que assim se tornava no terceiro timoneiro da equipa ao longo da época.
 
Por sua vez a Académica, orientada por Domingos Paciência, era 13.ª classificada em 16 equipas, quatro pontos acima da linha da água. 
 
Surpresa inicial
 
O jogo não correu de feição ao Benfica. A bola parecia queimar nos pés dos jogadores encarnados. Nomes consagrados como Rui Costa, Petit, Nuno Gomes não conseguiam remar contra a maré.
 
Exemplo disso o atraso absurdo de Luisão da direita para a zona central do terreno onde Miguel Pedro intercetou o esférico e correu sozinho para a baliza benfiquista, contornando com facilidade Quim. Quatro minutos de jogo e o Benfica já perdia.
 
Os lisboetas ainda reagiram, Óscar "Tacuara" Cardozo teve uma oportunidade incrível, mas não conseguiu bater Pedro Roma.
 
Mas pouco depois Luís Aguiar falhou um golo cantado, quando apareceu isolado na cara de Quim, e chutou cruzado, com a bola a passar rente ao poste esquerdo.
 
O Benfica falha, a Académica não perdoa
 
Há meia hora, após uma falta cometida por Leo na esquerda, Markus Berger aproveitou para fazer o 0x2 na sequência do livre. Era a surpresa total na Luz...
 
A águia voltou a acordar e Luisão obrigou Pedro Roma a uma grande defesa aos 39', poucos minutos depois o recem entrado Di Maria avançou pela esquerda e com remate potente acertou em cheio no poste esquerdo da baliza de Pedro Roma.
 
A Académica acusou o toque e voltou a ameaçar o Benfica, com Luís Aguiar a obrigar Quim a uma defesa magistral na sequência de um livre superiormente apontado.
 
Segundo Tempo
 
Na segunda parte o Benfica veio disposto a mudar a história do jogo. Primeiro foi Cristián "Cebolla" Rodríguez a falhar um golo cantado, pouco depois, novamente o uruguaio a receber uma assistência de Nuno Gomes, mas Pedro Roma voltou a ser magistral, voando para evitar o golo encarnado.
 
Aos 65 minutos o escândalo completo. Avançada da Briosa pela esquerda, Miguel Pedro aproveita a escorregadela de Nélson, avança sem problemas até à area, tenta tirar o defesa da frente, ensaia o remate, às duas tabelas a bola ressalta para Luís Aguiar, e à terceira, o uruguaio não perdoa e faz o 0x3.
 
No banco Fernando Chalana parecia incrédulo, nas bancadas assobios e muitos adeptos a abandonarem o jogo. Até ao fim o resultado podia ter sido mais escandaloso quando Edgar falhou o 0x4. 
 
Entre as hostes benfiquistas era a debandada. O cúmulo chegou quando Óscar Cardozo se lesionou a dez minutos do fim e resolveu abandonar o relvado, indo contra a vontade de Chalana e dos colegas que pediam ao paraguaio para continuar em campo. Irredutível, Tacuara abandonou o campo e deixou Chalana de olhar perdido nas bancadas, procurando alguma ajuda divina, numa imagem que ficou na história do futebol encarnado. 
Capítulos
Comentários (0)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
Motivo:
jogos históricos
U Sexta, 11 Abril 2008 - 20:30
Estádio do Sport Lisboa e Benfica (Luz)
Paulo Baptista
0-3
Miguel Pedro 4'
Markus Berger 32'
Luís Aguiar 65'
Estádio
Estádio do Sport Lisboa e Benfica (Luz)
Lotação64642
Medidas105x68
Inauguração2003